domingo, 24 de fevereiro de 2013

Avaliação do Índice de Oxigênio

Avaliação do Índice de Oxigênio dissolvido nas águas dos rios e córregos 
limítrofes de São Caetano do Sul


Dentre as análises de parâmetros que permitam verificar a qualidade da água e a possibilidade de abrigar a vida, a taxa de oxigênio dissolvido é uma das mais importantes. Assim o objetivo deste trabalho foi verificar a eficiência de duas diferentes metodologias para medição de oxigênio dissolvido.  Este trabalho é parte integrante do Projeto IPH – Índice de Poluentes Hídricos, que desenvolve em São Caetano do Sul o seu piloto. Foram utilizados dois métodos: por calorimetria e com Oxímetro  marca QUIMIS – Q-758P. Foram analisadas as amostras dos 20 pontos de coleta ao longo de 08 meses, são eles nos Rios Tamanduateí (6 pontos) e Meninos (7 pontos) e os Córregos Utinga (3 pontos), Grotas (1 ponto), Moinhos (2 pontos) e Ribeirão dos Couros (1 ponto- foz). As coletas foram feitas na superfície dos corpos de água e as medições no local e em laboratório. As amostras foram mantidas em sulfato manganoso para a preservação.  As médias dos 6 corpos de água analisados mantiveram-se  entre 0-2 ppm (parte por  milhão) ou mg/ L. Apenas nos meses de abril e maio houve  alteração para 3-4 em dois pontos do Rio dos Meninos. Os dados obtidos com a colorimetria deixaram margens maiores, mas não diferenciaram-se muito dos dados obtidos pelo oxímetro. O oximetro proporcionou dados  eram mais exatos, possibilitando maior confiabilidade nos resultados obtidos. Os resultados apontam a péssima qualidade das águas destes rios e córregos.

Pesquisador: Jonas Akenaton Venturineli Pagassini
Orientadora Voluntária: Paula Simone Costa Larizzatti
Orientadora:  Marta Ângela Marcondes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção: Todas as informações contidas neste blog são proibidas de reprodução sem autorização dos responsáveis.

Receba as postagens automaticamente no seu email, Cadastre-se!